sábado, 27 de novembro de 2021

Desilusões!


 Ah se não tivéssemos tantas expectativas sobre lugares, pessoas, acontecimentos! Não sofreríamos tanto!

 Raramente as coisas acontecem como esperávamos e isto se aplica a  acontecimentos, lugares, pessoas. É inevitável o sentimento de frustração, desilusão. De quem é a falta?  Geralmente culpamos a vida, os outros, mas somos nós os responsáveis por este sentimento, pois criamos ilusões de que as coisas serão distintas, e temos dificuldade em lidar com a realidade que nunca é como imaginada.  Sempre queremos o sonho, a atitude considerada do outro, a lembrança, o gesto de apreciação, a palavra carinhosa, ou no mínimo a lembrança, ou  suporte na dificuldade.  Fica o vazio, a realidade que te joga no chão. 

Kain Ramsey, em uma de suas publicações, disse: "Nunca fique obcecado em como você pensa que as coisas deveriam ser em qualquer aspecto da vida, pois você perderá a possibilidade de apreciar  as coisas como elas são. "
Fazemos isto? Não, eu pelo menos, na maioria das vezes, me decepciono muito, e tenho procurado  mudar, não criando expectativas  ou pelo menos ter a realidade presente.

 Ainda, segundo Kain, há duas categorias de pessoas: consumidores e contribuidores.
 Os  consumidores, e isto se aplica a ideias, conceitos, produtos, lugares e até mesmo pessoas usam, consomem, e nunca estão satisfeitos com sua realidade. Tem opinião sobre tudo e querem gerenciar até mesmo a vida dos outros, mas nunca estão satisfeitos com a sua própria vida. Estão, sempre, em busca, usam e descartam sem avaliar os benefícios  e/ou malefícios, ou como estão impactando a  vida dos demais. São cansativos de se ter por perto, pois não enxergam o outro, obcecados demais com suas ilusões, e seu egocentrismo.

 Os contribuidores, por outro lado, tentam resolver problemas, criar alternativas, compartilhar suas descobertas. Enxergam seus pontos falhos, e estão em busca de seu crescimento pessoal. Não se desiludem tão facilmente, pois não criam expectativas irreais, fantasiosas sobre o outro, ou as circunstâncias de sua vida.

 Acredito que imperfeito que somos, ninguém é exclusivamente consumidor ou contribuidor, mas tende mais para um ou para outro. Identificar nossas tendências e como as mesmas impactam nossa noção de realidade e nossas interações é um passo importante em nosso processo de desenvolvimento.

Você se considera  mais um consumidor ou um contribuidor? Como você lida com a realidade? Tenta  encontrar alternativas para contornar problemas/dificuldades e não se deixa abater por desilusões ou quer tudo de seu jeito e qualquer tranco da vida te coloca em um buraco? 


Cida Guimarães
27/11/2021

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este é um canal para que você se expresse livremente, questione, dê sugestões, solicite esclarecimentos. Solicitamos respeito à opiniões divergentes , ao contraditório, e uso de linguajar adequado e isento de ofensas verbais. Respeito às opiniões divergentes.