terça-feira, 12 de outubro de 2021

Coaching de relacionamentos

 




Muito é  falado a respeito de "COACHING", tanto no mundo empresarial, como fora dele. Palavra inglesa que teve origem  em 1500 na Inglaterra, e era utilizada para designar os cocheiros.   Coach, em inglês,  significa treinador, instrutor, e pode também ser uma categoria de assento em ônibus. Como verbo significa treinar, ensinar, guiar.

   Em 1850, as universidades passaram a utilizar o termo para se referir ao profissional que auxiliava os estudantes a se preparem para os exames.  Em 1950, o Coaching foi adotado pela literatura gerencial e classificado como habilidade própria da liderança e passou a ser uma ferramenta para líderes.

 Hoje temos "Coaching" nas mais diversas áreas: Coaching  de vida, de profissão, de carreira, gerencial, de comunicação, relacionamentos, de liderança, e de equipes.  O treinador é o Coach e o sujeito da ação é denominado Coachee. Vamos usar os nomes em inglês, considerando que são de  domínio público.

Nesta época de  mudanças constantes, solicitações de todas as ordens, há uma busca incessante de excelência e superação de nossas falhas pessoais, humanas e profissionais através da  ajuda profissional, que nos leve a visualização de caminhos  e  a maior empoderamento, e eficácia.

O principal objetivo do Coaching é ajudar as  pessoas a se conhecerem melhor, desenvolverem habilidades comunicativas, transformar suas metas em planos de ação, e  se manterem comprometidas durante o processo, desenvolvendo uma escuta ativa e a capacidade de fazer as perguntas certas.

Tudo começa com nossos relacionamentos e óbvio vamos iniciar com o Coaching de relacionamentos, sejam eles familiares, empresariais, ou amorosos.
A diferença em consultar um amigo, um terapeuta ou um coach é o nível de imparcialidade para ajudar o  coachee a alcançar seus objetivos. O coach só leva o cliente a encontrar, ele mesmo, as soluções para suas dificuldades.  É imparcial, distanciado.

O coach não dá conselhos, e evita comentários subjetivos.  Seu papel é o de  através de uma escuta ativa, e  de perguntas exploratórias levar o cliente, "coachee", a desenvolver percepção,  curiosidade,  e busca por respostas e soluções para seus problemas.




 Podemos dividir em  3 sessões iniciais:

1.ª sessão: estabelecimento de uma ponte entre coach e coachee, através de empatia, escuta ativa e confiança;

2.ª sessão: definição do objetivo estratégico, visão do futuro;

3.ª sessão: desenvolvimento de plano de ação para alcançar a meta e objetivos.  O coach  levará o coachee a esta definição através de perguntas exploratórias:
O que está te impedindo de atingir teus objetivos? 
O que te incomoda neste relacionamento/ nesta situação?
Como você poderia se relacionar melhor com seu parceiro/ chefe, etc.?
O que você pensa que aconteceria se você decidisse mudar de emprego/ função? 
Que  diálogo se passa em sua cabeça?
Qual pode ser a  causa do conflito?
Como você pode  lidar com isto?
O que deve acontecer para encontrar uma solução?

Quem busca o serviço de coaching? Geralmente  quem está enfrentando, ou lidando com uma, ou mais das situações, abaixo:

 1. Solidão: aqueles que estão sós e/ou lutando para encontrar um parceiro compatível, mas receosos devido a experiências passadas, não muito felizes;
2.  Crise: pessoas que estão experimentando mudanças em seus trabalhos, funções, relacionamentos,  ou passando por transições.  Algo não está funcionando bem ou não se sentem capacitados a lidar com as mudanças, e querem  se reconectar;
3. Términos/ Perdas: pessoas que estão experimentando o término de uma relação, a perda de um familiar, de um emprego, de uma oportunidade.

Os problemas nos relacionamentos se originam, na maioria das vezes,  quando, na comunicação,  são utilizadas: 

CRÍTICAS E ACUSAÇÕES.  Estas, geralmente, não resolvem os conflitos e só os pioram porque levam o outro a se recolher / fechar e silenciar. Existe um princípio em PNL que diz que nunca falhamos em nos comunicar, mesmo quando decidimos não o fazer. O silêncio é, em alguns casos, mais poderoso que muitas palavras.

INTERPRETAÇÕES EQUIVOCADAS. Quando interpretamos determinado comportamento de forma equivocada, baseados em experiências passadas. Sempre que há incompreensão, fazemos deduções equivocadas.

MÁ ESCUTA.  Esta ocorre quando não escutamos com atenção, procurando entender, mas, sim, com a preocupação de preparar nossa resposta.  Há que evitar o dialogo interno, e simultâneo. Dar tempo, refletir no que foi dito. Questionar/ procurar entender.

ESTAR NA DEFENSIVA. Quando procuramos nos defender e não refletimos antes de responder, buscando desculpas, e  dando explicações, não solicitadas.

DESDENHAR OU MINIMIZAR. Ao não darmos importância ao que está sendo dito, o outro não se sente validado; ou quando não damos a necessária relevância à experiência do outro.

HOSTILIZAR.  Se existir animosidade não será  possível ceder, fazer acordos, e a comunicação deixa de existir. É necessário criar limites e não deixar que o egoísmo crie uma situação de desequilíbrio.

MANIPULAÇÃO.  Ocorre, quando sentimos que querem nos levar a fazer algo que não desejamos. Às vezes, esta não é nem intencional, é sutil, ao buscar que  ajamos de forma distinta, ao não aceitarem nossa forma de ser ou pensar.
Reagimos quando sentimos que estão apertando nossas botões, e isto tem a ver com nossa história, depende de nossas experiências anteriores.
Um evento presente pode  ser um gatilho ao acionar uma experiência anterior, que vai trazer o passado para o nosso presente.

As dificuldades e conflitos nos relacionamentos têm origem em: expectativas fora da realidade, visões de vida, e mundo, distintas, desrespeito, tendências controladoras, dominação, base cultural ou educacional diferente. Estas divergências vão dar lugar a problemas, e ruídos na comunicação.

Podemos usar CBT, PNL, Mindfulness, e Coaching para lidar com nossos problemas de comunicação.   

Referências:
Texto baseado em  cursos de CBT e NLP, ministrados por Kain Ramsey, Udemy; curso de Coaching de Relacionamentos por Peggy Guglielmino, Udemy.
Tradução, resumo e adaptações de Maria Aparecida Guimarães

12/10/2021



domingo, 3 de outubro de 2021

Verdade, Coerência e Autenticidade

O que é a  VERDADE? Há verdades únicas, eternas, ou cada  indivíduo tem  sua verdade, e ela é cambiável?

Somos sempre coerentes,  autênticos em nossas ações, falas, relacionamentos?



Perguntas difíceis de serem respondidas e, possivelmente, as respostas serão  as mais variadas possíveis, dependendo da pessoa, seu momento de vida e  adequação à sua  verdade interior, origem,  valores,  princípios, meio cultural e educação.

Minha verdade será, sempre, pessoal, única e, talvez, para o outro  não faça o menor sentido. É individual e representa o universo de cada um.

 Para que um indivíduo  se torne um ser humano autêntico, a realidade tem que ser  seu norte. De acordo  com Santo Agostinho: “verdadeiro é aquilo que é".  Não usa máscaras,  não tenta ser outro para agradar ou se integrar.
É real, genuíno. 

Difícil, entretanto, se despir de proteções e se mostrar inteiro.  Leva-se uma vida para ir descartando, pouco a pouco, camadas e camadas de crenças limitantes.  Quando há consciência  delas,  do que me move na vida, e que está, lá, no fundo, em minhas entranhas,  guiando minhas escolhas, consigo atingir certa coerência e ser eu mesma, real, verdadeira. Preciso de muita meditação, autoconhecimento e auto-gerenciamento.  Para ser coerente, minhas ações e minha fala  precisam estar em harmonia, e validarem meus pensamentos e valores.

Frequentemente, quando  agimos por impulso, sem avaliar o peso  ou o  significado de nossas  palavras e ações, sem nos questionar  de sua correção, acabamos sendo inadequados, contrariando nosso eu real, sendo artificiais,  não  autênticos. Preciso ser fiel a quem sou, minha verdade, mas com consciência que esta é particular, única e possivelmente não válida para o outro.

Há,  usualmente,  muita disparidade entre  discurso e ação,  principalmente por parte de pessoas públicas, políticos, ou  quando  resolvemos dar conselhos, e ditar regras, que não seguimos fielmente. É difícil confiar quando observamos as divergências e iniquidades.


Vivemos em uma sociedade de aparências, de realidade virtual, e muita exposição. As verdades desaparecem, ocultas por camadas de falsidade.   Vendemos o que somos ou o que queremos que os outros pensem que somos? Difícil dizer porque nosso ego está sempre se interpondo e nos levando a acreditar na opção melhor, a que mais nos enaltece.

Fico por vezes triste e decepcionada com a falta de  verdade,  transparência, e honestidade nas relações.  São omissões, mentiras brancas, meias verdades, que acabam por minar nosso nível de confiança no outro.
Toda relação  depende de confiança, de entrega,  verdade e tolerância. Para nos aceitarem,  temos que saber ouvir com empatia, mesmo que a fala seja conflitante.

 Acredito que a hipocrisia,  as omissões/ mentiras ocorrem porque  o nível de tolerância do outro é desconhecido. Não  nos identificamos com seus valores e tememos o julgamento, a não  aceitação.

Somente as crianças e os loucos conseguem ousar e  se expor, sem receio, sem pudor. Hoje, não me preocupo tanto com a avaliação, validação externa.  Resultado, talvez, de minha idade, que me permite ousar mais sem  medo da crítica, que já  não  me paralisa. 
Sempre seremos criticados e isto irá propiciar uma buscar por melhora contínua. Eu preciso ficar em paz comigo mesma. Meu questionamento e auto-avaliação têm  que ser rigorosos.

 Somente com muito trabalho será possível diminuir as possíveis falhas entre nossa verdade, coerência e autenticidade. 

Trabalho de uma vida!


Cida Guimarães 
03/10/2021

quinta-feira, 30 de setembro de 2021

Qual o papel da escrita em sua vida? (2a parte, dicas de experts)

 

 Você ainda quer ler sobre isto? Gosta de escrever também?   Este texto vem  complementar o anterior, adicionando outros benefícios desta prática, com dicas de profissionais nesta arte. A arte de escrever.

Em minha primeira postagem, falei do papel da escrita em minha vida, e de como  preciso registar ideias e  acontecimentos para lembrar, memorizar, e melhor processar um determinado assunto. Como sou cinestésica e visual, a escrita é crucial em meu processo de aprendizagem. Também curto escrever para me acalmar, repensar determinada situação,  problemática, ou clarear ideias.
  
 Há pesquisas que confirmam que  o ato de escrever é importante na memorização de conteúdo, na cognição.  Evita o envelhecimento dos neurônios e previne doenças. Portanto, o benefício é grande. 

Sei, entretanto, que  amadora que sou, tenho muito a desenvolver, e  estou em busca de aperfeiçoamento.  Resolvi resumir, nesta postagem, alguns conceitos,  estilos de escrita e suas  características principais para auxiliar outras pessoas a escrever melhor.
  Vou citar dois cursos, que achei muito interessantes.  Um de Henrique Carvalho, fundador  do Blog "Viver de Blog", e o outro de Pedro Bial, jornalista e apresentador, que admiro sobremaneira.
 Seus objetivos e estilos são distintos, mas há muitos conceitos que se sobrepõem e fornecem dicas importantes para serem analisadas, usadas e avaliadas.  Vou resumir algumas ideias principais.

 Segundo  ambos, escrever é colocar nosso pensamento em palavras. É registrar o que ainda são só ideias. Não é necessário clareza máxima ao iniciar. Precisamos ousar, sermos artistas; nenhum texto é perfeito. A busca por perfeição é paralisante.  Há que buscar melhoria contínua.  Podemos pegar emprestado, roubar, como um artista, o estilo de alguém até encontrar o nosso. O segredo de uma boa escrita está na escolha das palavras, e saber cortar as desnecessárias.  Temos que pensar na audiência. O que me interessa pode não ser relevante para o leitor.

Segundo Henrique  Carvalho em seu curso "Escritor Milionário" podemos seguir o esquema I.D.E.I.A

I = Incubação: coletar novos conhecimentos
D= Distribuição: abastecer nosso banco de dados;
E= Estruturação: organizar nossas ideias
I= Iluminação: ter uma grande ideia,
A=Ação: escrever, escrever, escrever.

Tanto Carvalho  quanto Bial pensam  ser essencial começar criando expectativas, aguçando a curiosidade, mas  ser simples, e conciso.
Pedro Bial no curso  "O Ato de Escrever"  diz que  para escrever é preciso ler muito. "Ler tudo, e tudo é texto. A fórmula da vida é texto". Temos que escrever sobre algo que conhecemos, próximo a nós.
  Ao lermos, vamos ganhando intimidade com as palavras e aprendendo a escolher as mais simples, as mais precisas, substituindo adjetivos por substantivos. O texto tem que servir às ideias.

 Os quatro pontos cardeias de um escritor, conforme Pedro Bial 

 Conteúdo, Concisão, Clareza e Humanidade


1. Conteúdo: o que você  quer dizer? É um fato, um conhecimento, ou um sentimento?
Qual a sequência?  Tem início, meio, fim? Há que ter domínio da narrativa. Conviver em silêncio com a história, responder as possíveis perguntas. Se for um acontecimento, explique a si mesmo porque as coisas aconteceram de determinada maneira. Procure entender. Só diga o que necessita ser dito.

2. Concisão. Seduzir, não ser chato, motivar e podar.  As melhores histórias são contadas no osso. Diga tudo que puder com o menor número de palavras, e as mais simples. Dê relevo ao que interessa.

3. Clareza:  contar de forma clara, estabelecer comunicação com o outro.

4. Humanidade: um ser humano falando com outro ser humano. Seja pessoal.  Tenha tanto objetividade como  subjetividade. Para ser ouvido/ lido há que ter algo interessante, despertar interesse, desejo, e contar de forma clara, humana. Um bom começo é por si  só um fim. Uma frase entregando para a seguinte. O título tem que ser matador.  Descrever em detalhes não é tão bom quanto sugerir.
 Há, sempre, um texto não verbal. Importância do silêncio na escrita. Deixar subtendido, o que não é necessário ser  dito. Cortar palavras.

 Algumas regras básicas:
1. Nunca use clichês;
2. Não use uma palavra comprida se puder usar uma curta;
3. Seja direto; corte as palavras desnecessárias;
4. Não use a voz passiva, se puder usar a ativa;
5. Não use palavras estrangeiras;
6. Quebre todas as regras, se for necessário.

Os textos jornalísticos seguem o formato de  "LEAD", ou seja, devem responder as 5 perguntas WH ( inglês), acrescentando a forma, maneira.

What  = o quê
Who   = quem
When = quando
Where= onde
Why   = por quê

How= como

 No texto jornalístico a função é hierarquizar as informações, da mais importante/ relevante a menos importante, e é necessário precisão das palavras utilizadas.
 Os demais textos seguem estilos, que podem ser:

A- Narrativo: análise crítica e reflexiva do assunto: romances, novelas, contos, crônicas, fábulas. Tem uma apresentação, desenvolvimento e clímax com seu desfecho. Precisamos de enredo,  personagem, tempo, e espaço. Podemos usar o discurso direto (a própria personagem narra); discurso indireto o narrador interfere na fala da personagem) Narrado na 3a pessoa. Indireto livre. Há intervenções do narrador e das falas das personagens.

B- Dissertativo: geralmente  solicitado em exames e concursos, como o vestibular. Apresentar uma opinião; realizar uma análise crítica; apresentar argumentos/ fatos ou dados para justificar ou defender ideias. Pode ser escrita na 1.ª ou 3.ª pessoa. Pode ser expositivo, ou argumentativo.

Expositivo: expor ideias de forma concisa, apresentando fatos e ideias;
Argumentativo: tentar convencer/ dissuadir o leitor de uma opinião/ ponto de vista. Pode ser objetivo ou subjetivo. O objetivo tem uma abordagem impessoal (3.ª pessoa). Subjetivo (1.ª pessoa) Ponto de vista do autor.

 A dissertação deve ser estruturada em:
 
Introdução:  referir o assunto, contextualizando o caminho a ser percorrido para defender um ponto de vista ou opinião;

Desenvolvimento: dissertar sobre todos os argumentos, informações e ideias que permitam que a mensagem convença o leitor do porque de seu ponto de vista;

Conclusão: deve expor as consequências do assunto. Não pode ser um resumo do que foi informado. Deve sugerir  ações para resolver os problemas referidos.




terça-feira, 21 de setembro de 2021

Poemas

  INSPIRAÇÃO 

Inspiração  para mudar
tentar fazer o melhor
que eu possa ser
sem me preocupar com o que possam pensar, dizer ou crer.

Impulsionada pela chama 
do prazer de crer que eu
possa sempre dizer 
tudo  que movimenta meu ser,
expressa e ilumina meu viver.

A esperança de mudança
é chama que alimenta
e impulsiona com força
minha crença no viver.

É só olhar para a natureza
para ter coragem e encarar
a mudança como engrenagem
propulsora de nova forma de agir que renove, e inspire meu sentir.

CidaGuimarães
27/11/21


DESILUSÃO 
Sonho abortado
Expectativa frustrada Sensação de perda Peito apertado Desilusão!


São  ideias, expectativas,
pensamentos por nós criados,
e não realizados, como imaginados, cavando nossos poços de desilusões.

Ilusão, não assombra minha visão,
não cria um mar de frustração
com sonhos idealizados, 
impossíveis de serem vivenciados,
como  esperados.

CidaGuimarães
27/11/2021



Ilusões 
Que seria de nossa vida
se não houvessem ilusões,
sonhos de  amores, 
de viagens, conquistas?
Seria insossa,  previsível, 
sem graça. 

Quando  nos perdemos em devaneios, cabeça recheada por mil anseios, a realidade nunca nos satisfaz.
É  simples, pobre, 
carece de encanto. É  fugaz ! 

Queremos  o excepcional,  o belo,  o passional,  e nos deixamos enganar, Iludir por nossos sentidos, 
vivendo nossos anseios,
calando nossos medos. 

Peito palpitando de receios de não vivenciar nossos doces enleios,  deixando morrer nossos gorjeios.
Vida é  anseio , sonhos,  planos.
Sem ilusões, fenecemos, creio.


CidaGuimarães  21/11/2021





A Cor do Amor  
Vida iluminada pelo sol das ilusões, das paixões movimentando nossos corações. 
Mil cores, múltiplos odores. Vida em ação, coração em rotação. Múltiplas emoções!

Novos sonhos, novos planos. Tudo é  cor. São flores da estação, brotos  florindo e colorindo nossos dias de calor, na euforia do amor.
O amor tem cor? Sim, vibrante em todos seus tons. Do vermelho da paixão Ao lilás da emoção Arco íris de sensações. Alegrando nossos corações.

Cida Guimarães
16/11/2021



MURALHAS

Que triste quando tudo que desejamos é o bem do outro e somos rejeitados, mal interpretados. 

Como transpor muros de negação, muralhas de proteção? É mais fácil  aceitar o incrível, o fantasmagórico, terrível, do que crer no crivel e simplório. Mudar é sofrido, difícil. Precisamos  questionar nossas crenças, despir nossas  sofrências. Olhar para o novo com confiança que uma mudança trará bonança. Só  com muito amor e crença que a força deste sentimento possa derrubar a espessa muralha de desentendimentos, e construir pontes de confiança. 

CidaGuimarães
15/11/2021


INTERAÇÕES

Mundo de realidade virtual,
de pouca interação real,
muitos apelos visuais,
baixa percepção sensorial
e de comunicação surreal.

Sem escuta,
atenção curta,
reação brusca
e interação abrupta.
a comunicação surta
Cuidado, atenção!
Uma boa interação exige tesão
para que não haja cisão
na comunicação.

CidaGuimarães
12/11/2021


Retalhos de uma Vida

Vidas sonhadas,
vidas vividas.
Vidas perdidas;
outras vidas,
em uma mesma vida.

Quantas fui,
quantas serei?
Novos sonhos terei?
E o que ficou do que sonhei?
Enterrei ou soterrei?

Pedaços de um todo, retalhos de uma vida, que mostram caminhos findos.
Histórias de uma sina, de tempos idos e vividos, e de lições de várias vidas.

Fui muitas e diversas, em fases controversas.
Hoje sou colcha de retalhos, de sonhos dormidos e vividos, de cores e texturas, de frangalhos, coloridos,   lindos, desta vida.
Vivi amores e dores, sucessos e fracassos, conquistas e perdas,
como todos os seres. Retalhos de uma vida, bem vivida!


CidaGuimarães
09/11/2021


ESPERANÇA
    
Minutos de aflição
Dor, desespero, maldição!
É a vida a nos testar.
A confiança é pequena,
a coragem enferma.

São  muitos problemas,
esgotando nossos esquemas,
minando nossas defesas.

E de repente, tudo começa a mudar
e o mundo, recomeça  a  brilhar.

É  a esperança
Iluminando nossas crenças,
apagando a descrenca,
nos auxiliando, novamente, a  sorrir
e nossa vida seguir.

Com a coragem dada pela fé,
e muita esperança, sempre,
para enfrentar novos dias de fel;
na certeza, que, logo, novamente,
virão os de mel.

CidaGuimarães
04/11/2021

Caminhando

Caminhando ou correndo
Passeando ou atropelando
Surfando ou se afogando,
vamos pela vida:
usufruindo ou usurpando,
construindo ou destruindo,
rindo ou chorando, agradecendo
ou praguejando.

Vamos observando os caminhos,
escolhendo e apreciando as rotas?
Curtindo os acertos,
mas atentos aos percalços
para não sucumbir nas crateras?
Ou seguimos vendados,
desatentos, incautos e ingratos
na espera de mudanças?

Nossa caminhada pode ser linda e plena de fantasia se curtirmos a beleza de cada novo dia. É, entretanto, necessária a certeza que tudo depende de nosso olhar cuidadoso para que nossa jornada seja segura, repleta de atenção, amor e alegria.


30/10/2021
CidaGuimarães


Passageiros



Que linda a impermanência,
que em segundos, muda tudo,
tudo troca de lugar.
Do desânimo  à empolgação,
do choro ao riso,
do desespero à esperança.

Somente  com  muita paciência,
calma e  fé, e cientes
que a alternância
é  a única constante, 
podemos levar nossa vida
com mais leveza.

Curtindo as horas de beleza,
e enfrentando as tempestades,
com tranquilidade.
Sabedores que são passageiras, como nós, passageiros da vida,
e tudo vai, novamente, mudar.

CidaGuimarães
28/10/21



Que mundo é  este?

Mundo de faz de conta,
de pouca ternura, 
muita hipocrisia, 
e falso  apreço.               
Mundo  de palavras vazias,
verdades veladas, distorcidas.

Mundo de omissões,
de abismos nas interações. 
Mundo de artifícios,  lacunas, meias palavras,  do não elogio e aplauso, quando gostamos, ou apupo quando odiamos, erguendo muros de proteção,  barreiras na comunicação.

Que lindo e ideal seria este mundo  se fossemos verdadeiros,  abrindo nossos corações, expressando  reais emoções, numa onda de respeito,  amor e calor.



CidaGuimarães
26/10/2021



     
  TORMENTA
Dias nebulosos,
cheios de tensão,
mil preocupações 
rondam nossa razão. 
Não  dá  para fugir
se esconder, 
buscar refúgio.
 
Há  que enfrentar 
o rugir das emoções 
com fé e destemor.
Nada permanece igual
e é preciso aguentar firme 
até  que tudo volte ao normal.

São as marés da vida, 
altas e fortes 
ou baixas e mansas
trazendo alegrias ou angústias, 
e temperando nossos dias
Com amargura ou doçura.


CidaGuimarães
20/10/2021



SER E VIVER
Vidas vividas
tecidas no ter
sem saber querer, 
perder, viver, e ser.

Ter  é perder.
É  viver, sem  saber
onde termina o  pretender,
e começa, realmente, o ser.

Como saber viver
se  é também morrer
para  renascer, e voltar a ser?

Deus do saber
Ilumina meu ser
para que eu possa viver
tudo que eu
possa realmente ser.

CidaGuimarães
16/10/21



CRIANÇAS AMADAS
Saudades de minhas crianças,
que já não são crianças,
nem minhas;
são do mundo,
de suas vidas, de suas lutas,
e de seus sonhos.
Saudades dos primeiros:
sorrisos, passos, palavras.
De seu deslumbramento, perguntas sinceras, jogos,
e brincadeiras, e de nosso assombro com elas.
Se pudéssemos
voltar no tempo,
resgatar a inocência,
a sinceridade da infância, e manter sempre viva
a chama de ser criança.

CidaGuimarães
12/10/21



                                        ANSIEDADE



Anseios mis
dominam meu sentir 
sem saber porquê,
estou  sempre a pressentir
o que virá  a seguir.

É um eterno pré  sofrer 
um pobre pré existir.
Sossega mente,
acalma coração,
cala boca, e escuta, 
com atenção.
Não  dá  para viver
neste eterno pré existir.

Há  que sentir
o ir e vir
e viver o agora
sem pressentir,
com paz na alma
para não se confundir. 
Inspira, expira, respira
e acalma teu existir.

CidaGuimarães 
09/10/2021    


              PAZ


Te encontro em meu caminhar,
n
a areia sob meus pés, 
nas ondas, batendo na praia,
nos morros, no horizonte.

Estás  nas nuvens,
dançando no céu,
nas garças, ciscando na orla.
Em toda a natureza
da minha linda Garopaba.

Te perco em meus pensamentos,
e me perco dentro de mim
em busca de ti.
Onde estás agora?

Não adianta buscar
Há  só que sentir
a beleza e a calma
da natureza
para voltar a te encontrar
e a paz retornar.

CidaGuimarães 
06/10/2021

                                                      Roda da Vida




Sentir, sorrir
Ir e vir
triste porvir
ou alegre sentir.


 Nas idas e vindas
 Ciclos de vida
 se criam, se findam
 se recriam e terminam.

 Cada dia, outra via
 e a eterna roda se cria.
 Girando, e tecendo nossos dias.

 Roda, roda minha vida 
com a fantasia de novos
e felizes  dias.

CidaGuimarães 
04/10/2021


                             Amores


Amores de vida,
de pais, de filhos,
de alma, de sina.
Paixão que domina,
Ilusão que termina.

Não há vida sem amor,
nem amor sem vida.
É a chama que ilumina,
a tesão que alucina.

Bons ou maus,
eternos ou finitos
árduos ou tranquilos,
sem amor, áridos somos.
e nos lastimamos.

Vem amor,
qualquer que seja,
aquece meu ser
com teu pertencer.

03/10/21
CidaGuimarães


                                    Vida 


Vida, oh vida!
Qual é  a hora?
De choro e dor,
ou riso e flor?

Vida de acasos e ocasos,
lutas e entregas,
vitórias e fracassos,
dúvidas e certezas.

Vida de surpresas,
chegadas e saídas,
Oh vida!
Qual sua nova onda,
um tsunami ou só  marolas?
Avisa, para eu ajustar minhas velas.

CidaGuimarães 
02/10/2021       


         SONHOS


Precisamos todos de sonhos,
para acalentar  nosso sono;
nos manter vivos, e esquecer os abismos.
Sonhos de  vida, de amor, de dor,
de paz, de cura,  de grandeza;
cada um com seu pequeno, grande sonho. 
Driblando as carências, e criando no imaginário
as condições perfeitas, em nossas vidas de tolos.
Vem sonho,  embala nossos sonos. 

CidaGuimarães 
29/09/21


           CONFIANÇA 


Como ter confiança
quando falta verdade, autenticidade?
Sempre que algo é omitido, distorcido,
A confiança se apaga,
se esvanece;
e paira a desconfiança.

Um abismo de coisas não ditas, 
de emoções escondidas,
e confiança perdida.
Confiança é uma ponte,
uma travessia entre duas pessoas,
que depende  de parceria e muita verdade.

CidaGuimarães 
28/09/21


        PRIMAVERA


Flores se abrindo, 
Cenário mudando, 
Tudo embelezando.

É a vida em  sua plenitude
Instável, louca, surpreendente
Como nossos anos primaveris.

É a natureza, em sua exuberância
Construindo sonhos, iluminando caminhos.

CidaGuimarães
22/09/2021

          FAMÍLIA


Múltiplas, coloridas,
em preto e branco,
efusivas, contidas;
felizes, amargas,
de sangue, de afeto;
verdadeiras, inclusivas,
falsas, excludentes.

Família é  AMOR,
aceitação, inclusão.
Interesse e auxílio mútuos,
ou, não é NADA.

Cida Guimarães
22/09/2021

      VENTOS FORTES


Venta, e as árvores se dobram,  vergam,
como eu, ao peso das dificuldades
Vai me arrastar, quebrar,
desprender meus galhos?
Ou serei forte para aguentar o vendaval,
tocar em frente, e voltar a brotar?
Minhas raízes são profundas e,
amanhã, com certeza, o tempo vai mudar, 
e eu vou conseguir florescer.

Cida Guimarães
21/09/2021

        SAUDADE


Tristeza do que foi, e já não é;
se perdeu,  se modificou.
Mudou, eu mudei, o tempo passou...
Como reter momentos, permanecer no que foi?
Impossível, só ficam as lembranças, e a saudade do que  já foi um dia. 
Volta tempo, volta no tempo, e me deixa viver, novamente, aquele tempo.

CidaGuimarães
20/09/2021

                                 RECORDANDO



Lembro, ainda saudosa da infância querida
Povoada de paz e alegria
E de muita fantasia também
Que a preta velha contava

Matilde reunia na cozinha 
A meninada da casa, sentada em banquinhos, ao seu redor,
Perto do fogão a lenha, que ainda conservava as cinzas
Ouviam de Matilde as histórias fantásticas
Do tempo de cativeiro
Que ela contava como ninguém
Porque a dor da escravidão conhecia.

Muitas noites amedrontadas
Entre tantos personagens diversos
Onde havia de tudo, desde o príncipe encantado
Até o vampiro que chupava o sangue das crianças.

Mas no dia seguinte, outras mais queríamos
Conta mais  uma Matilde,
Peremptória: "Não, é hora de dormir."
Mais uma, mais uma, gritávamos em coro
"Vá lá, uma só, depois cama".

Bons tempos eram aqueles
De sonho e alegria
Que não voltam mais.

Emery Guimarães
02/03/1971


A ESPERANÇA E A FÉ

 A esperança e a fé são duas  irmãs
 Enquanto uma vive na espera
A outra mora na segurança
Enquanto uma é alento  na vida
A outra é força que consola

Tanto na vida como na morte estão juntas
Com fé, esperamos que tudo se faça
Com esperança, aguardamos a mudança
Sentindo haver um poder 
Maior que o nosso
Que tudo muda e tudo dá
Para quem tem fé e esperança

Ansiosos e receosos, penitentes e humildes
Invocamos e imploramos
O milagre da fé e da esperança.

Emery Guimarães
02/11/71





TRAVESSIA

Fernando Pessoa









O PASSAR DO TEMPO

Meditando, meditando
Porque somente hoje?
Porque o tempo na juventude não sobra
E com os anos, temos tanto.

Vimos, então, que pouco fizemos,
vontade de retroceder temos
pois, ideias novas, largas e profundas
adquirimos com o tempo.

Tarde será?
Lamentamos o vazio de agora
O muito que deixamos passar
E agora queremos o muito.

Que importa os anos?
Oportunidades, oportunidades teremos um dia
Velho só o tempo o é.

Emery Guimarães
24/11/71




SENTIMENTOS HUMANOS

Os Sentimentos Humanos certo dia se reuniram para brincar. Depois que o Tédio bocejou três vezes porque a Indecisão não chegava a conclusão nenhuma e a Desconfiança estava tomando conta, a Loucura propôs que brincassem de esconde-esconde. A Curiosidade quis saber todos os detalhes do jogo, e a Intriga começou a cochichar com os outros que certamente alguém ali iria trapacear. 
O Entusiasmo saltou de contentamento e convenceu a Dúvida e Apatia, ainda sentadas num canto, a entrarem no jogo. A Verdade achou que isso de esconder não estava com nada, a Arrogância fez cara de desdém pois a idéia não tinha sido dela, e o Medo preferiu não se arriscar: “Ah, gente, vamos deixar tudo como esta”, e como sempre perder a oportunidade de ser feliz. 
A primeira a se esconder foi a Preguiça, deixando-se cair no chão atrás de uma pedra, ali mesmo onde estava. O Otimismo escondeu-se no arco-íris, e a Inveja se ocultou junto a Hipocrisia, que sorrindo fingidamente atrás de uma arvore estava odiando tudo aquilo. 
A Generosidade quase não conseguia se esconder porque era grande, e ainda queria abrigar meio mundo, a Culpa ficou paralisada pois já estava mais do que escondida em si mesma, a Sensualidade se estendeu ao sol num lugar bonito e secreto para saborear o que a vida lhe oferecia, porque não era nem boba nem frígida; o Egoísmo achou um lugar perfeito onde não cabia ninguém mais. 
A Mentira disse para Inocência que ia se esconder no fundo do oceano, onde a inocente acabou afogada, a Paixão meteu-se na cratera de um vulcão ativo, e o Esquecimento já nem sabia o que estava fazendo ali. 
Depois de contar 99 a Loucura começou a procurar.
Achou um, achou outro, mas ao remexer num arbusto espesso ouviu um gemido: era o Amor, com os olhos furados pelos espinhos.
A loucura o tomou pelo braço e seguiu com ele, espalhando beleza pelo mundo. Desde então o Amor é cego e a Loucura o acompanha.
Juntos fazem a vida valer a pena.

(Lya Luft--)